29 de set de 2011

HEART EXPERIENCE


não há bons relatos ou relatos relevantes sobre usuários do lítio no google. nem no yahoo answers. então resolvi dar uma utilidade a mais para este blog além de mostrar (ou não) a minha capacidade discursiva.

comecei a tomar carbonato de lítio há sete dias, com clorpromazina como agente de equilíbrio e mantendo a fluoxetina. comecei com 600mg/ dia, dividido em duas doses. após um resultado de exame de leticemia de 0,4 (o normal é 0,6 a 1,0), o médico manteve a dosagem inicial como adequada para a dose terapêutica. porém, após sete dias só tenho sentido malefícios e nenhum benefício. os seguintes efeitos colaterais persistem: tremores, tonturas, dificuldade para falar, visão embaçada e problemas na digestão.
além do exame de leticemia, também fiz eletrocardiograma no último domingo e não foi evidenciada intoxicação pelo lítio. por isso, fui orientado a ter um pouco mais de paciência e continuar o tratamento.

o lítio é o mais antigo dos controladores de humor e o mais nocivo também. além dos efeitos colaterais iniciais, ele também prejudica os rins (por isso a necessidade do controle sanguíneo). porém, meu médico novo disse que ele ainda é o melhor de todos. tive um pouco de preconceito (e ainda não tenho um conceito), pois meu médico é um septuagenário. ou seja: médico velho = tratamento velho. mas... espero ter próximos sete dias melhores fisicamente.

sintomas psíquicos são relativos. tenho a sensação de andar como um fantasma, tenho uma sensação anestesiada, como se estivesse prestes a desmaiar. o mundo e a realidade parecem me afetar muito menos (a companhia de pessoas indesejáveis não me incomoda). a libido, que governava boa parte do meu ânimo (seja para escrever ou me auto satisfazer) está bem mais baixa. fazendo um paralelo, ao ir dormir eu me sentia mergulhando em um morango gigante, esperando uma companhia masculina o mais vermelha e molhada possível para me induzir ao sono. agora, eu mergulho no escuro da imensidão do espaço, como um astronauta (essa é a imagem que me faz dormir). e ao final de mais um dia e de questões fúteis como o funcionamento da linha amarela do metrô de são paulo, eu vou para a cama me perguntando: a morte é confortável?

consigo expandir um pouco mais o pensamento exemplificando o meu tesão pelo mathias de zordo. antes eu só conseguia me imaginar sendo soterrado por ele. agora estranhamente o vejo completar o movimento do arremesso. me vejo no meio do campo esperando. o dardo acaba atravessando o meu peito, e esse é o máximo do prazer unindo o sexo e a morte. ai ai...



eu tinha outras coisas para escrever, mas esse post já está longo demais. aliás, nem citei que o título vem de um disco do wry (banda de rock de são josé dos campos que gosto muito). para você que não conhece, baixe 'red shoes' ou compre o compacto em vinil da música 'come and fall', tem na livraria cultura.

XOXO.