25 de out de 2010

MUESTRA DE BALONES


   uma despachante carioca toda felizona
   uma espanhola raquítica
   um veadinho ao fundo observando tudo > envolvidos em um negócio legalzinho de B A L Õ E S !
   página virada, colegas. não importarei mais essas bolas. página virada: acho que essa expressão vem da morte da mulher do ben harper, pelo pastor, na película "night of the hunter" do charles laughton, no qual a morte por assassinato é mostrada como uma página virando-se. uma classe só. esses "balones" estão mortos. só o jingle que continua na minha cabeça "muestra de balones... muestra de balones..." jingle que eu fiz, por sinal. "balones" agora, são partes coloridas da vida.

   34ª mostra internacional de cinema de são paulo: esse é um evento que espero ansiosamente, anualmente. até agora separei 30 filmes interessantes que prentendo ver. na última sexta feira, encontrei mateus e o apresentei o cinesesc.
- veja! a marília gabriela.
- sério? não notei.
   marília gabriela permaneceu parada como uma vassoura durante a projeção de "clube do suícidio". o diretor fez um fofíssimo pronunciamento antes do filme. a sessão estava bem cheia e o clima perfeito para um ótimo espetáculo. mateus não pode ficar pois teve de viajar, txt.marília gabriela mandou um beijo para você e disse que não há a remota possibilidade de um dia eu ser entrevistado por ela.txt
  a projeção mostrava a história de cinco anônimos que planejam cometer suicídio coletivo jogando-se do alto de um prédio. não desenvolvi empatia pelos personagens, mas sim pela forma com que a trama se desenvolveu. no final, muitas palmas. uma das presentes comentou o seguinte
- roteiro maduro para a idade do cara, não? ele deve ter o que? uns vinte e poucos anos?
   dei nota máxima e depositei na urna.

   no sábado, separei os filmes interessantes e saí de casa para a sessão no unibanco da augusta para ver "irmandade" um filme dinamarquês sobre nazistas gays. na fila, o lipe rowe respondeu minha mensagem de texto e me convidou para ir mais tarde, ver um documentário sobre willian burroughs com depoimentos de gente como patti smith, por exemplo. irmandade é um filme que proporciona além de ereções, exemplos da rotação do planeta onde você paga pelos atos cedo ou tarde. o final mostra duas imagens separadas, com consequências. nota 4,0 (de 1,0 a 5,0).

   antes de encontrar o lipe tinha de passar o tempo de alguma forma. ia encontrá-lo só ás 20h00 e ainda eram 17h30. tive a brilhante idéia de ir ver "atividade paranormal 2" no center 3. fui ver porque tinha de ver algo de terror em meio a tantos filmes da mostra que não são de terror. shopping. adolescentes magérrimas aparentando ter 14 anos sentaram-se atrás de mim em um numeroso grupo. comentários, risadas e nunca mais assisto filme de terror em shopping. o filme desenvolvia-se de uma forma interessante, mas eu estava mais concentrado em segurar minha incrível vontade de urinar. consegui aguentar até o final do filme. final fraco, diga-se de passagem.

   que saudade do lipe e que saudade da cintia ferreira que estava com ele. lipe é um lourinho engajado com a política, fã do hole e bastante interessado em rock feminino. cintia, conheci há cinco anos atrás em um trabalho. ela, junto com outras quatro garotas fundou a banda 'justiça' que não está mais na ativa.
   depois de NÃO conseguirmos ver o documentário, já que acabaram-se os ingressos meia hora antes da sessão, fomos beber umas cervejas, e cintia convidou-me para ir ao aniversário de uma amiga dela (também uma ex justiça). descemos até o alto pinheiros - veja só - e fomos parar no condomínio onde a garota morava. desnecessário dizer que as garotas do alto de pinheiros não tem o que fazer no rock (principalmente no rock underground), mas cada um tem seu modo de vista, paciência. infelizmente vivemos em um país que a principal representante do rock feminino underground é uma menina rica: a prezada elisa gargiulo (...) por esse motivo NUNCA teremos uma banda PARECIDA com o bikini kill neste país. pois enquanto elisa e suas comparsas adoram fazer piadas com pessoas que moram em regiões menos privilegiadas da cidade, kathleen hanna era um atendente do mcdonald´s antes de montar o bikini kill.

   lá na festa da rockeira playgirl, encontrei pessoas que não eram parecidas comigo. aliás detesto que pessoas me desejem boa noite no elevador do prédio, sempre detestei isso. duas pessoas naquele elevador que nunca tinha visto na vida me desejaram boa noite. íamos sair da festa á meia noite e meia, mas cintia mudou os planos e tivemos que ficar até ás 04 da manhã naquele inferno, quando ela finalmente conseguiu chamar um táxi para nos tirar de lá. ao menos conversamos bastante.
- o underground não existe - cíntia disse.

   no final da festa os balões foram estourados.

   voltarei em breve para comentar mais sobre a mostra.

Nenhum comentário: