15 de nov de 2010

NORAH ZOMBIE JONES

parabéns, ekaterina gamova. bruxa. sono fatiado para ver uma final de voleibol. acordei finalmente com um grito do narrador quando lioubov sokolova levou uma bolada exemplar no rosto; coincidentemente, curiosamente esse era meu apelido quando eu jogava voleibol: sokolova - isso no tempo em que ela sabia se proteger. no final nathalia disse: 'vamos esperar mais quatro anos, né?' minha gata olhou para mim e disse 'não posso esperar quatro anos. quatro anos são quarenta para mim'. eu posso, mas não sei se quero esperar.

me peguei nessa em uma jornada. em uma desbravação. uma fila imensa, interminável, lenta, que prometia levar á uma deusa, uma heroína zumbi-mãe: norah jones. caracóis e mais caracóis de filas de pessoas para adentrar um parque bastante verde, para ela ligar o piano para cantar 'chasing pirates'. metida, não? meus joelhos não puderam seguir pela fila até o fim, mesmo morto, mesmo zumbi, acho que ninguém conseguiu ver algo além do som, da voz de fada, do píano, das pernas talvez. acho que norah jones não existe, ou existe somente parcialmente como a dona do tom.


norah ainda cantará bastante. o que me entristece muito é jamais ter conseguido ver marion jones.

também fiquei triste por não terem passado o filme do bruce labruce inteiro.

estou bem cansado, como um zumbi.

Nenhum comentário: