15 de out de 2012

TAPETE DE MAÇÃS

 
formidável, ou FORMIGÁVEL, ir ao curso e dar com a cara na porta SÓ porque é dia dos professores. eles deveriam DAR aulas nesse dia e receber presentes, maçãs, sei lá. ou muitas maçãs, maçãs suficientes para confeccionar um tapete de maçãs para cada um deles.
 
tapete de maçãs também é um evento, uma manifestação clássica que aconteceu no final da década passada á favor da cantora fiona apple. tudo porque a gravadora tinha achado seu novo disco 'extraordinary machine' pouco comercial e dificultava o seu lançamento. os fãs de fiona então, estenderam um tapete de maçãs em frente a gradavora e o extraordinário 'extraordinary machine' foi lançado. apple = maçã.
 
não cito isso á toa. fiquei sabendo há poucos dias que fiona apple virá ao brasil no mês que vem para três apresentações e fiona é um dos poucos artistas que me fariam sair de casa, ficar em pé, conseguir enxergar apenas o cotovelo e a testa do artista (minha gata vomitou de novo), e TALVEZ ter o que mereço. mas irei, e recomendo que vão.
 
(ela vomitou na minha cama de novo). não, eu não morri. sei que estou há meses sem postar e sei que falava muito sobre a morte, mas não perdi a vida e nem qualquer coisa que me impedisse de escrever como dedos, mão, visão, etc.
 
eu estava me dedicando a alguns projetos de literatura, por incrível que pareça. o meu próximo livro, é um livro de contos e se chama 'o estranho mundo de hugo guimarães'. já tem editora, mas ainda não posso dizer qual é, e também ainda não sei a data de lançamento.
isso é bom.
bom, pois eu já não acreditava tanto na publicação dele, visto que perdi o prêmio sesc de literatura mais uma vez e não conseguia enxergar caminhos alternativos para a publicação deste incomum livro.
 
eu também estava construindo um projeto que está concorrendo a uma bolsa da funarte e vai concorrer a bolsa da petrobrás, ambos para criação literária. terminei o projeto da petrobrás ontem e a inscrição vai até o final deste mês. se acredito que posso ganhar? não, claro. mas há um fio bem fino e bem pequeno de esperança que é o mesmo fio que me impediu até hoje, que eu me suicidasse. simples.
 
desde que parei de tomar clorpromazina regularmente e estou sem nenhum anti psicótico, coincidentemente tenho feito um questionamento a mim mesmo que nunca tinha feito de uma forma tão objetiva: por quê não podemos antecipar algo que irremediavelmente irá acontecer?
talvez seja só coincidência.
 
fora isso, nada aconteceu de especial na minha medíocre vida de escritor contemporâneo brasileiro, que se resume em tentar escrever, tentar publicar, tentar existir, tentar comer, e se dedicar a um emprego absurdo das nove ás seis da tarde.
 
nada, mas 'filme para poeta cego', um curta metragem sobre o glauco mattoso feito pelo querido gustavo vinagre. ele foi filmado no ano passado, e eu fiz uma pequena participação. o lançamento aconteceu no festival internacional de curtas de são paulo deste ano e fiquei contentezinho com a minha participação. é possível que eu volte a trabalhar com o gustavo, mas até agora só há especulações.
 
vou ver se consigo levar a minha gata ao veterinário, ao doutor, ao ginecologista, ao CACETE, antes do final desta semana, pois sexta feira começa a 36ª mostra internacional de cinema de são paulo e este é um evento SAGRADO para mim, quando assisto dezenas de filmes em uma maratona de duas semanas.
 
prometo postar com mais frequência a partir dessa data e logo postarei sobre a mostra dando minhas considerações, opiniões e sugestões.
 
meu namorado é um príncipe encantado e eu sou um sapo incapaz de compreender que ele merece uma vida social normal. caso você esteja lendo, prometo que vou tentar ser mais razoável.
 
ah! é finalmente saiu no brasil em dvd o 'deixa ela entrar' original, o sueco, em uma edição toda bonitinha da livraria cultura. vou assistir os quinze minutos finais agora.
 
XOXO.

Nenhum comentário: